Campanha Salarial 2017/2018: Intransigência patronal trava as negociações. Até quando?

MESA PARTICULARES 05-07 (8)

A luta em defesa dos trabalhadores das empresas particulares se acirra a cada dia que passa! Diante de uma crise política moral, econômica e social sem precedentes na nossa história, somos obrigados a conviver com a saúde aos frangalhos, insegurança e violência em qualquer lugar e a qualquer hora, mais de 20 milhões de desempregados, a terceirização a todo vapor e a privatização, que podemos chamar de doação de grandes empresas nacionais ao capital e internacional.

E a corrupção? Espalha-se nos três poderes (executivo, legislativo e judiciário), nas grandes empresas do governo como Correios, Caixa Econômica, Petrobrás, Banco do Brasil… tudo muito podre. Não é à toa que diversos figurões da nossa república estão vendo o sol nascer quadrado, à espera de outros que em breve chegarão. É nessa conjuntura que os brasileiros vivem, fazendo “das tripas coração” para conseguir sobreviver.

No caso especifico dos trabalhadores nas empresas de TI, a campanha salarial já consumiu 04 rodadas de negociação e os patrões, aproveitando-se da crise econômica acima citada, continuam intransigentes. Na mesa anterior, propôs reajuste de 4% para os trabalhadores que ganham o piso e 0% para quem ganha acima (algumas funções que ganham o piso não serão incluídas). O sindicato reivindicou um reajuste linear de 8,28% para todos os trabalhadores, independente da função que exercem. Nenhum avanço. Em assembléia a proposta patronal foi rejeitada por unanimidade.

A expectativa era grande para a mesa do dia 05.07, na sede do (Sinepd), mas para nossa surpresa o patronal reafirmou a sua velha e ridícula proposta de reajuste zero, culpando novamente, de novo, outra vez, a crise, a desoneração e blá, blá, blá. Conversa mole pra boi dormir.

Até parece que quando os tempos eram melhores, eles atendiam nossas reivindicações. Nunca! Para alcançarmos êxito em campanhas salarial passadas, sempre precisamos nos insurgir com medidas que iam de manifestações, greves e audiências em tribunais para fazer valer os nossos direitos.

Depois do repúdio da direção do Sindados e da representação dos trabalhadores, eles propuseram suspender a reunião e marcar outra para o dia  17.07 às 14:00h na sede do Sindados, quando terão tempo para avaliar melhor nossas propostas junto com as empresas.

A direção do Sindados aceitou a suspensão da reunião, mas afirmou que irá convocar assembléias, manifestações e a partir daí, com certeza irá adotar medidas extremas que certamente vão causar transtornos.

Não vamos mais protelar esta negociação nem o trabalhador vai ser responsabilizado por atos e fatos estúpidos que estamos vivenciando.

Caros trabalhadores. Todos sabemos que só com união e determinação alcançaremos os nossos objetivos, por isso conclamamos a todos a participar das assembléias, onde iremos decidir como enfrentar os patrões. Só a luta muda a vida. Quer mudar? Unam-se a nós!

ASSEMBLEIA SEFAZ/CAB (CAPGEMINI, SOLUTIS, AVANCYS E INDRA)

Dia 12/07 às 12 hrs.

ASSEMBLEIA PARQUE TECNOLÓGICO (ZCR e Ericsson)

Dia 13/07 às 12 hrs.

ASSEMBLEIA CAPGEMINI, BRISA e VELSIS Informática

Dia 14/07 às 08 hrs

ASSEMBLEIA SOLUTIS, Pixeon, Totvs, Dominious Sistemas, Edza, Montreal, Glauco Informática e Getronics (Edf. Catabas Center -Tancredo Neves)

Dia 14/07 às 12 hrs.

FORA TEMER, FORA A REFORMA TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA. POR UM GOVERNO EM PROVEITO DA CLASSE TRABALHADORA.

Veja Também

particulares (5)

Patrões propõem reajuste de 4% e 2%

A reunião realizada no dia 21/07 com o Sinepd (Sindicato Patronal das Empresas Particulares) foi ...