Patrões propõem reajuste de 4% e 2%

particulares (5)

A reunião realizada no dia 21/07 com o Sinepd (Sindicato Patronal das Empresas Particulares) foi uma continuação da 4ª rodada de negociação ocorrida no dia 05/07, quando a empresa apresentou uma ínfima proposta de 4% para quem ganha o piso salarial e 0 (zero) para quem ganha acima do piso.

Nas assembleias realizadas pelo sindicato, ela foi rejeitada por unanimidade. As perdas salariais são justificativas claras para que não aceitemos esta proposta.   A cesta básica, composta de gêneros de 1ª necessidade subiu drasticamente, corroída por uma inflação galopante, não divulgada pelos órgãos do governo. Tudo aumenta, só não sobe o salário do trabalhador.

É sempre a mesma ladainha cantada pelos patrões: crise, crise e mais crise, na tentativa colocar tudo na nossa conta. O governo depois de aprovar uma reforma trabalhista que ataca e retira direitos de todas e todos, como informamos no boletim anterior, agora tenta nos “enfiar guela abaixo” a aprovação de outra reforma, a da previdência, que propõe dentre outras punhaladas, o aumento da contribuição previdenciária para homens e mulheres, inviabilizando a sua aposentadoria e dificultando a vida daqueles que trabalham há mais de 35 anos. Se esta reforma  for aprovada, os trabalhadores vão receber pelas costas mais esse duro golpe do governo. Como vingança por ainda não ter sido aprovada, o governo disparou mais um aumento da gasolina que tem reflexo econômico negativo e inflacionário na vida de todos nós. Tenha certeza que todos estes ataques são apoiados pelos sindicatos patronais, que tanto ganharam e ganham com a exploração daqueles que vivem da sua força de trabalho.

Após todas estas considerações na mesa de negociação, o patronato manteve a sua proposta de 4% para o piso salarial e subiu para 2% para quem ganha acima do piso.

A direção do Sindados reconheceu que houve um pequeno “avanço”, mas que está longe de atender nossas reivindicações e por isso propôs um reajuste linear de 7.28%. Após um intervalo uma nova proposta foi feita pelo Sindados: 6,28% para todos.

Para apresentar nossa contra proposta e referendar a rejeição da patronal, estamos convocando assembléias nas empresas abaixo relacionadas:

Local e hora: EDF. CAPEMI – DIA 27/07/2017 às 08:30h

Empresas: CAPGEMINI / BRISA  / VESIS INFORMÁTICA e demais


Local e hora: SEFAZ DO ESTADO, CAB – DIA 27/07/2017 às 13:30h.

Empresas: SOLUTIS / INDRA  / CAPGEMINI / EDZA / MONTREAL / AVANCYS / CTIS e demais


Local e Hora: Parque Tecnológico – PARALELA – DIA 28/07/2017 às 08:30h.

Empresas: ERICSON / ZCR Informática / Softwell Solutions / Topos Informática e demais


Local e Hora: ATRÁS DO SHOPPING SUMARÉ – Av. Tancredo Neves. DIA 28/07/2017 às 13:30h.

Empresas: TOTVS / PIXEON / DOMINIO SISTEMA / SOLUTIS / INDRA / EDZA / GETRONICS / STEFANINI / MONTREAL / Glauco Informática e demais

Contamos com a presença maciça dos trabalhadores.

SÓ A LUTA MUDA A VIDA. VAMOS ACORDAR!

Veja Também

SITE

Trabalhadores das empresas de TI aprovam proposta de reajuste salarial 2017/2018 com ganho real

A Campanha Salarial 2017/2018 demonstrou a força e disposição dos trabalhadores em TI (Tecnologia da ...