SAÚDE

COMO ESTÁ SUA POSTURA EM FRENTE AO MICRO?

Mantenha os olhos no mesmo nível do seu monitor, não deixando o queixo pender nem para baixo nem para cima.

Posicione o monitor a uma distância de aproximadamente 50 cm dos olhos e perpendicular ou de costas para as janelas, evitando reflexos na tela.

Apóie as costas no encosto da cadeira. Se preciso, coloque uma almofada na altura da cintura para ajudar a manter a coluna reta.

Regule a altura da cadeira de forma que os cotovelos fique perto do tórax, formando um ângulo de 90°. Os pulsos devem ficar retos em cima da mesa.

Uma mesa muito baixa pode obrigá-lo a ficar numa postura prejudicial à coluna, pescoço e braços, curvando-se todo o tempo. Quando a cadeira está baixa em relação ao teclado, a postura também pode ficar inadequada tensionando os braços e ombros.

Encaixe as pernas embaixo da mesa e mantenha os pés paralelos e apoiados no chão. Se for necessário coloque um apoio para os pés.

Coloque o teclado na frente do monitor e o mouse ao seu lado. De preferência use um mousepad com apoio. Mas lembre-se que a distância do mouse deve manter seus braços sempre perto do tórax.

Matéria e desenhos extraídos da Gazeta do Povo de 23 de setembro de 2002

O Fluxograma comentado

1- Dor. Perda Auditiva; perda da voz; depressão; estresse; ansiedade; pânico; taquicardia. (Ao sentir, não se automedicar. Este é o primeiro sinal do corpo de que algo não vai bem. Desconsiderar O sinal pode comprometer o seu maior patrimônio, a sua saúde).

2– Procurar o médico com especialidade em Ortopedia nos casos de LER/DORT. Otorrinolaringologista nos casos de problemas com Perda Auditiva ou Voz, nos casos de Estresse, depressão, insônia, ansiedade, medo, pânico, etc, procurar o médico Psiquiatra. (Neste primeiro momento o profissional dificilmente vai diagnosticar. Salvo se a lesão ou transtorno estiver num grau avançado. Medicação para a dor e exames complementares. será solicitada. Na seqüência, solicitação de fisioterapia e afastamento do trabalho.) Seguir a orientação médica.

Há muitas outras doenças ocupacionais que pouco podemos perceber mas que podem ter sua origem ocupacional, como por exemplo às doenças do sistema circulatório: hipertensão, infarto agudo do miocárdio, etc.

E bom lembrar que não basta o trabalhador(a) ter dor para determinar a sua origem ocupacional, é preciso que ela tenha relação com o trabalho e com a função e atividades que desempenhava na empresa, o que denominam de Nexo Causal e Nexo Técnico.

3– Levar o atestado médico para a empresa. (Este atestado deve constar o CID – Código Internacional da Doença e tempo provável de tratamento. Geralmente os médicos costumam apontar no atestado 15 (quinze) dias, este período é mais que suficiente para efeito de emissão da CAT, nela que irá constar o tempo provável de afastamento, para tratamento a ser preenchido pelo médico posteriormente – com afastamento ou não do trabalho. Deve o trabalhador (a), tirar cópias de toda a documentação gerada antes de encaminha-Ia a empresa. advogado(a) e ao INSS).

4– A empresa de posse do atestado, com o CID constando na lista de Doenças Relacionadas com o Trabalho, do Ministério da Saúde, é obrigada a emitir o CAT. (Ao fugir dessa regra comete infração. Daí a necessidade de recorrer às entidades sindicais).

5– Após emissão da CA T pelo sindicato ou pelo empregador, o trabalhador (a) terá que fazer os procedimento abaixo: ( O papel da distribuição deveria ser feita pelo INSS automaticamente, mas no governo anterior eles passaram para os trabalhadores realizarem esta tarefa, o que demonstra o total descaso com os segurados, e com a sua função na sociedade).
1º – Levar para o médico assistente (particular) para preencher o campo médico (campo II A TESTADO MÉDICO), lembrando que os campos 54 ao 63 deverão ser preenchidos, atentando para que o médico não esqueça de preencher local, data, carimbo e assinar a CAT:
2º – Após preenchimento pelo médico, o trabalhador deverá tirar 05 cópias.

3º – Juntar Comprovante de residência, as três 3 (três) últimas comprovantes de pagamentos/contra-cheques, atestado com CID que originou o preenchimento da CAT, cópia da carteira de trabalho, cópia do RG e CPF e os originais. Estes documentos serão necessários para ativar a CAT no INSS.

Em seguida deverá retornar a ADVT/APLER ou Sindica para que a CA T seja encaminhada via internet.

Onde devo levar as vias da CA T???

a) Primeiramente deverá o trabalhador dar entrada na CAT, no posto do INSS mais próximo de sua residência. (Não esquecer que o funcionário que está recebendo a CA T no INSS, deverá protocolar nas vias número da sua matrícula). Quando a CA T for via Internet, o servidor já irá marcar a data da perícia. Quanto ao protocolo da CA T transmitido pela Internet, este já será fornecido após a transmissão.

b) O trabalhador deverá receber do INSS 05 vias da CAT protocolada, devidamente protocolada, sendo que 01 via deverá ficar com o trabalhador que colherá na sua via os protocolos de recebimento das demais instituições que ele deverá entregar conforme abaixo (é interessante autenticar pelo menos 2 (duas) vias).

Distribuir as demais vias:

CEMAST ou CEREST- Centro de Referência/saúde pública – SUS;

DRT- Delegacia Regional do Trabalho;

Sindicato da categoria do trabalhador; para o Empregador, o trabalhador deverá enviar via Correio através de A.R. (necessário endereço completo – CEP do local de trabalho) Mencionar no AR qual o conteúdo, que no caso é a CA T.

6– Se afastamento por mais de 15 dias, o trabalhador passará por perícia. Pois a partir do 15º dia de afastamento para tratamento ocorrerá por conta do INSS

7– Realizará outras perícias, caso necessário;
Observação: é necessário levar em todas as perícias médicas no INSS o parecer do seu médico assistente. Lembrando que o médico que cuida da sua é o seu médico assistente. Já o médico perito do INSS cuida dos interesses da seguridade , enquanto que o médico do trabalho cuida da saúde da empresa que a contrata

6/a – Atenção!

Ir a perícia sem o atestado do médico assistente é o mesmo que pedir para o perito, pois nem sempre o afastamento provável é o suficiente para o tratamento e reabilitação, daí a necessidade do parecer. Vamos lembrar que peritos se quer levam em consideração o parecer do médico assistente de continuidade do afastamento, e concedem a alta médica. E o atestado nesses casos vai nos servir e em muito, no recurso a junta ou na ação previdenciária.

6/b – Se negativa do INSS, na concessão do beneficio,conforme o item 9 e 9/a

8/a– Até a aposentadoria por invalidez acidentária (Cabendo recurso se invalidez por doença).

9. Alta. Nesta situação o trabalhador só deve voltar ao trabalho quando o seu médico assistente tiver-Ihe consentido a alta, caso contrário estará concordando com o parecer do médico perito do INSS. É direito do trabalhador após a alta pelo INSS passar por um exame de retorno a empresa, este exame é realizado pelo médico do trabalho. Quando isto ocorrer, apresentar para o médico da empresa o atestado do seu médico assistente (particular), onde consta a manutenção do afastamento ou inapto, para retornar ao trabalho. Atenção, não assine nada no exame de retorno se o seu médico apontar inapto, caso contrário estará concordando com o médico do INSS, e aí serão 2 pareceres médicos (INSS e Empresa) contra 1 (o parecer do seu médico assistente, que é quem cuida e tem responsabilidade pela sua saúde).

9/a – Discordando da alta precipitada ou pré-datada, poderá o trabalhador (a) recorrer a Junta para realização de nova perícia. Mas não antes de seguir a orientação dos itens 91b e 10.

9/b – Retorno ao trabalho com ou sem concessão do auxílio acidente B-94 (50% do salário contribuição). Este beneficio é devido quando o acidente ou doenças ocupacionais apresentar seqüelas ou perda da capacidade laborativa. Cabendo recurso administrativo junto ao INSS ou através de ação previdenciária, quando negado.

10. Antes de desistir do seu direito, o trabalhador tem ainda a opção de abrir um novo beneficio, para não ter que voltar o trabalho sem aptidão apontada pelo seu médico assistente, seja através da CAT ou Atestado médico (doença). Mas deve atentar-se para o recurso referente à Alta do beneficio anterior que tem prazo, conforme consta no verso da CREM – Comunicação de Resultado de Exame
Médico.

ATENÇÃO!!!! 

Quando entrar com a ação trabalhista, previdenciária e reparação de danos, exigir do seu Advogado(a) o no ato da contratação dos serviços o fornecimento da: Cópia do Contrato de Honorários; Cópia da Petição; o n° do processo junta ou vara, Cópia da Sentença, etc.(((tudo ao seu momento))). Quando se tratar de ação de reintegração solicite que a ação tenha o pedido de Tutela Antecipada. Tire cópias de tudo, antes de passar a documentação para frente.

Orientações importantes para priorizar a saúde

  • O trabalhador deve conhecer e identificar os fatores de risco: da sua profissão e das atividades desempenhadas na sua função.
  • Identificar os riscos e transformar o ambiente de trabalho de forma a valorizar o seu maior patrimônio, a sua saúde. Contando com os amigos, CIPA, ou Sindicato; 
  • Ter em mente que prevenir é melhor que remediar. e que todo acidente de trabalho ou doença ocupacional. podem ser evitados; 
  • O trabalho não deve doer; 
  • Não deve esconder seus sintomas de dor ou sofrimento, e ao menor sinal. procurar o médico; 
  • Não trabalhar com dor, ainda que sob orientação médica, neste caso voltar ao médico explicando a sua situação; 
  • Não se automedicar; 
  • Interromper tratamento medicamentoso ou fisioterápico, quando este não estiver apresentando resultado ou estiver gerando mais dor; 
  • Exigir do seu médico assistente o atestado, com o diagnóstico e CIO; 
  • Nos exames periódicos, nunca assinar o atestado antes da consulta, 
  • bem como não assinar caso não concorde com o parecer do médico do trabalho; 
  • Lembrar sempre que quem cuida da sua saúde e por ela é responsável pelo tratamento, medicamento, cirurgia ou alta, é o seu médico assistente (médico particular); 
  • Médicos peritos do INSS, cuidam da saúde do INSS. Médicos do Trabalho são contratados pela empresa, para cuidarem da saúde da Empresa; 
  • Tenha sempre cópia de toda a documentação (atestados,exames,CA T,laudos,etc.); 
  • Em caso de afastamento, superior a 15 dias, nas perícias do INSS, não deve esquecer de levar o parecer do seu médico assistente; 
  • No caso da perícia do INSS: conceder alta; negar beneficio, etc., não se desespere, antes de qualquer atitude procure o Departamento de Saúde ou Departamento Jurídico do Sindicato, que vai oríentá-Io como proceder; 
  • No retorno ao trabalho é muito importante conquistar o seu espaço, colocando para a chefia e colegas as suas limitações, caso contrário, não haverá respeito a suas limitações, e a doença poderá agravar; 
  • Não entrar com recurso no INSS, nem retomar ao trabalho, quando o ser médico não ter lhe concedido alta, seguir a mesma orientação anterior; 
  • Em caso de demissão, procurar o Sindicato imediatamente ao receber comunicado; 
  • Não realizar o exame de demissão: quando estiver em tratamento medicamentoso ou fisioterapia; quando estiver sob atestado médico; quando estiver inapto para o trabalho; quando tiver tido afastamento há menos de 1 ano; quando no período de estabilidade; e quando tiver tido tratamento durante os últimos doze meses. 
  • Lembrar de que quando ao entrar na empresa realizou o exame de admissão e nada constou. Entrou com cem por cento da capacidade laborativa, e assim deverá sair, pois vai depender da sua saúde para desempenhar novas atividades; 
  • Quando acometido por algum tipo de doença ocupacional, é preciso pensar projetando-se para o futuro, principalmente quando se tratar de doença ocupacional irreversível, como por exemplo LER/DORT. Tratamento, salário, convênio médico, emprego, são questionamentos que podemos encontrar respostas, somente quando colocamos as nossas saúde como prioridade; 
  • Ao entrar com ação: trabalhista, previdenciária e reparação de danos, exigir do Advogado(a) no ato da contratação dos serviços, o fornecimento da: Cópia do Contrato de Honorários (combine os honorários, o que é combinado não sai caro); Cópia da Petição; o n° do processo junta ou vara, Cópia da Sentença, etc. (((tudo ao seu momento)))

Quando se tratar de ação de reintegração solicite que a ação tenha o pedido de Tutela Antecipada.

Não faça acordo nas ações. Saúde não se negocia. Lembre-se que o que esta em jogo é o seu futuro. Esta atitude de não negociar ações, tem de ser princípio seu e do Advogado a ser contratado.

Deixe uma resposta